Foto: O Tempo

Mais um vereador de Santa Barbara, na região Central do Estado, foi preso em decorrência da operação Apollo 13, organizada pela polícia civil de Minas Gerais. O vereador Geraldo Magela Ferreira (DEM) se apresentou a PC na última semana e responderá pelos crimes de falsidade ideológica, peculato, formação de organização criminosa e obstrução de justiça. Além dessa prisão, mais sete vereadores foram afastados da função legislativa no município.

Esse foi o sexto inquérito da operação que foi deflagrada em julho desse ano. Desde o início da operação, cinco vereadores já haviam sido afastados, sendo destes, três presos. Atualmente, 12 vereadores estão afastados, sendo destes, dois suplentes. Apenas um vereador da cidade, Carlos Augusto Bicalho Fonseca (PDT), está na função, uma vez que são onze os parlamentares de Santa Barbara.

Segundo o delegado da Polícia Civil responsável pela operação, Domiciano Monteiro, o vereador Geraldo Magela Ferreira combinava depoimentos com outros envolvidos no caso. “A investigação teve acesso a provas documentais e testemunhais que confirmam essas conversas entre os envolvidos”, diz.

O delegado explicou que os envolvidos praticavam de forma reiterada o crime de desvio de verbas indenizatória de diárias. “Eles apresentavam informações de falsas viagens para receber esse dinheiro”, contou. Sobre o valor desviado, o delegado disse que ainda não tem um número exato, mas afirmou que no caso de fraude em contratos de alugueis de carros foram mais de R$ 500 mil. Já referente as falsas diárias, segundo o delegado, são “dezenas de milhares de reais”.

Ainda de acordo com o delegado Domiciano Monteiro, os vereadores conversavam sobre os desvios de maneira debochada. “Em conversas entre eles por meio do aplicativo whatsapp, era comum o uso de emojicons de notas de dinheiros e gargalhadas. Eles também combinavam festas e churrascos pagos com dinheiro público e diziam não estarem preocupados com a repercussão do caso na imprensa”, diz.

Outras investigações desmembradas da Operação Apollo 13 indicaram também outros crimes, como o desvio de aproximadamente R$ 180 mil por meio do cinema do município e fraudes em licitações. Ao todo, já ocorreram mais de 100 indiciamentos nos seis inquéritos policiais, que foram concluídos referentes a crimes praticados na Câmara Municipal de Santa Bárbara.

Informações O Tempo