Homem preso em Barroso após triplo homicídio é inimputável e será internado

Mãe do suspeito e sobrinha, de 19 anos, foram achadas em apartamento na rua Dom Viçoso

 

Será internado em uma instituição psiquiátrica o advogado de 40 anos que matou, em junho deste ano, a mãe de 79 anos, a tia de 85, e a sobrinha de 19, em Juiz de Fora, na Zona da Mata. Após análise de seu laudo de sanidade mental, o acusado foi considerado na quarta-feira (14) pela Justiça como inimputável, ficando incapaz de receber ou cumprir pena em uma unidade prisional.

Conforme o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), uma junta médica fez uma perícia que constatou a inimputabilidade devido à uma psicopatia gravíssima, sendo que a única opção do juiz Paulo Tristão, do Tribunal do Júri, foi a absolvição sumária do crime.

Entretanto, ainda de acordo com a Justiça, o réu não ficará solto. Nesta quinta-feira (15) o advogado continuava no Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp), onde aguarda uma vaga para internação e transferência para o hospital psiquiátrico e judiciário Jorge Vaz, em Barbacena, na região do Campo das Vertentes.

Com a internação por tempo indeterminado, o homem ficará sob monitoramento constante, passando por novos exames psiquiátricos com frequência. Com isso, a internação será mantida enquanto o laudo psiquiátrico apontar que o advogado apresenta risco para ele e a sociedade. A sentença pela internação do réu teve a concordância do Ministério Público, dos advogados de Defesa e de familiares das vítimas.

Relembre

O crime aconteceu no dia 19 de junho deste ano, sendo que o primeiro corpo a ser encontrado foi o da tia do suspeito, de 85 anos, achado por sua cuidadora por volta das 10h. A idosa apresentava um pequeno corte no pescoço e ferimentos na cabeça.

Os outros dois corpos, da mãe e sobrinha do advogado, foram achados cerca de duas horas depois na casa em que ele vivia, quando familiares foram até a casa para avisar da morte da tia do homem. A jovem de 19 anos estava sobre a cama, bastante ensanguentada, e com uma machadinha ao lado do corpo. Já a mãe do advogado estava enrolada em um cobertor, bastante ensanguentado e sem dois dedos da mão.

Desde então iniciaram as buscas pelo suspeitos que, segundo a família, era portador de esquizofrenia e teria fugido em um carro alugado por ele nove dias antes. A PM foi avisada ainda de que o homem poderia ter ido para a cidade de Barbacena, onde viveria uma tia dele que estaria sob risco de ser a próxima vítima.

Uma operação foi montada e o suspeito encontrado na cidade de Barroso, na região Central do Estado, após o veículo alugado ser rastreado pela empresa. Uma vez preso, ele confessou ter matado as três parentes, afirmando que a família teria o prejudicado no processo de herança do avô.

 

Informações O Tempo