GREVE CONTINUA. FUNCIONAMENTO INTERNO DEPENDE DO SINDICATO

A greve dos bancários, que ocorre em todo o país desde o último dia 6, ainda não tem previsão de acabar. Nessa terça-feira (20), a categoria rejeitou a proposta apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) na primeira rodada de negociação depois do início da greve, realizada no hotel Maksoud Plaza, em São Paulo.

A Fenaban apresentou a proposta de reajuste salarial de 7,5%, sem abono. A categoria pede 16% de reajuste salarial. O Comando Nacional dos Bancários (Contraf-CUT) rejeitou a proposta na mesa, reafirmou a intenção de discutir aumento real e orientou a categoria que a greve continua.

Em Barroso, segundo informações extraoficiais, o funcionamento depende da presença do representantes do sindicato da região. De acordo com funcionários dos bancos locais, que preferem não se identificar, se o representante não aparecer o funcionamento corre tranquilamente, mas a qualquer momento eles podem chegar e pedir a paralisação do funcionamento interno.

“A gente espera até pouco minutos antes das 10h. Dessa forma, depende da presença do sindicato. Já teve dia que eles não compareceram e trabalhamos normalmente”, diz um funcionário.

Os caixas-eletrônicos continuam funcionando normalmente.