FESTIVAL ARTES VERTENTES REÚNE ARTISTAS DE DEZ PAÍSES EM TIRADENTES

e87536fe3f22d8a27ea88b7f7755aa75
Crime e Castigo é o tema desta edição do Festival

Com um formato inédito no País, o Festival Internacional de Artes de Tiradentes – Artes Vertentes – será realizado na histórica cidade mineira entre os dias 10 e 20 de setembro próximo. A programação contempla os campos das artes visuais, música, literatura, teatro, cinema e dança, em espetáculos que serão apresentados ao público por artistas, músicos, escritores e diretores de 10 países. Este formato, presente desde a criação do Festival, em 2012, pretende possibilitar diálogos entre línguas, culturas, artistas, público e os diferentes campos da arte.

Com direção artística de Luiz Gustavo Carvalho, o Festival Artes Vertentes apresentará mais de 45 atrações, em uma extensa programação de concertos, saraus literários, exposições, sessões de cinema e espetáculos de teatro e dança. Todas as atividades estão ligadas ao tema “Crime e Castigo”, mote curatorial da edição de 2015, e têm patrocínio do Itaú, EBrasil, Gasmig e Cemig.

“A proposta é manter um intercâmbio de alto nível entre o rico patrimônio artístico e cultural de Minas Gerais e o de outros lugares, permitindo encontros, reencontros e descobertas do público por meio da arte. Pretendemos, com este conceito inovador, criar um espaço para novas ideias, atuando como uma plataforma de comunicação entre artistas vindos de diferentes culturas, respeitando suas singularidades, antagonismos e, principalmente, o desejo de dialogar”, explica Luiz Gustavo.

As atividades acontecerão em lugares de relevância histórica e de importância no patrimônio arquitetônico da cidade, como a Matriz de Santo Antônio, as Igrejas do Rosário e das Mercês, o Museu Padre Toledo, o Centro Cultural Yves Alves, o Sobrado Quatro Cantos e o Largo das Forras. Grande parte da programação é gratuita.

 

Artes Visuais

“Último império”, de Serguei Maksimishin – um dos maiores fotógrafos russos da atualidade – e “Fogo, Carne e Sangue”, do nigeriano James-IrohaUchechkwu, serão apresentadas pela primeira vez na América do Sul. Importantes nomes do cenário contemporâneo das artes visuais tais como CamilleKachani, João GaborgginiQuaglia, Peter de Brito e os franceses François Andes e Pascal Marquilly, do Coletivo Groupe A, também mostrarão seus trabalhos na exposição coletiva “Daquilo que nos escapa”.

 

Literatura

O romancista esloveno Drago Jančar – que recentemente recebeu o Título de Cidadão Europeu, concedido pela União Europeia pelo conjunto de sua obra –, vem pela primeira vez ao país e apresentará o seu livro “Desejo Debochado”, traduzido para o português. Além dele, poetas renomados como o lituano Tomas Venclova; e jovens que despontam no cenário literário internacional, como a portuguesa Matilde Campilho, cujo livro, “Joquei”, publicado recentemente no Brasil pela editora 34, foi o mais vendido na FLIP deste ano também marcam presença no Festival. Participam, ainda, das leituras e workshops do festival o mexicano Luis Felipe Fabre; o catalão Josep Pedrals  e os brasileiros William Zeytounlian e Ricardo Domeneck.

 

Música

Na programação musical, o pianista Jacob Katsnelson, vencedor de diversos concursos internacionais para piano, estará realizando o seu primeiro recital no Brasil. “PierrotLunaire”, uma das principais obras do século XX, ganhará um elenco internacional e a interpretaçãoda soprano Eliane Coelho, maior nome do canto lírico do país. Ela será acompanhada por músicos de renome internacional, como o flautista israelense Roy Amotz e o violinista Daniel Rowland, primeiro violinista do Quarteto Brodsky. O Artes Vertentes apresenta, ainda, o holandês Jan Jansen no órgão histórico da Matriz de Santo Antônio, o percussionista Gregory Beyer, um dos maiores da atualidade e a Orquestra Criança Cidadã – Recife, uma das orquestras jovens mais interessantes do país.

 

Cinema

Os filmes Raskolnikow (1923) e As mãos de Orlac(1924), do cineasta alemão Robert Wiene; eA Batalha no Céu (Batallaenelcielo) e Japón (Japão), de Carlos Reygadas, serão exibidos no Festival.A convite do Festival, o DJ paulista Paulo Beto e o compositor mineiro Sérgio Rodrigo escreveram trilhas para os filmes, que serão executadas ao vivo durante as exibições.

 

Teatro e dança

“O amor é um cão que vem do inferno”, peça do premiado dramaturgo espanhol Javier Cuevas, também será apresentada no Itaú Cultural, em São Paulo, no dia 08 de setembro, pelo próprio Javier Cuevas e pela atriz GriseldaLayno, num denso diálogo construído a partir de textos de Charles Bukowsky, escritor alemão, e George Bataille, pensador e escritor francês. O público poderá assistir, ainda, à “História do Soldado”, de Igor Stravinsky, em uma montagem inédita com a participação do ator Alvise Camozzi, e da bailarina Jacqueline Gimenes, e “Líquido tátil”, resultado do encontro entre o grupo Espanca! (que recentemente completou 10 anos de atividades) e o diretor e dramaturgo argentino Daniel Veronese.

 

Ações educativas

O projeto também leva às crianças de Tiradentes oficinas em diversas linguagens artísticas. Segundo a diretora executiva do Festival, Maria Vragova, o objetivo é explorar o universo artístico de uma maneira criativa e pedagógica. “Queremos contribuir para a integração do público infantil ao festival, bem como para a formação de público e isso somente torna-se possível através de uma ação educativa contínua no município e na região”, afirma. Um dos destaques de artes visuais será a escultura “Quimera”, resultado da residência de Pascal Marquilly e François Andes na cidade de Tiradentes, a convite do Festival Artes Vertentes. Entre os dias 11 de agosto e 10 de setembro, os franceses Pascal Marquilly e François Andes trabalharão com diversos artistas populares e artesãos mineiros na construção de uma Quimera, um ser imaginário da mitologia grega, inspirada na fauna local e na diversidade de linguagens artísticas da região. O projeto contará ainda com a participação de estudantes da Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ) e da UFMG e com as crianças de Tiradentes que participam da Ação Educativa, projeto desenvolvido pelo Festival Artes Vertentes durante todo o ano letivo junto a escolas da cidade.

O Festival Artes Vertentes é uma realização da Arset Vita. Mais informações no sitewww.artesvertentes.com ou no facebook.com/festivalartesvertentes.