ESCOLA ESTADUAL SANT’ANA

Sob o título “Grupo Sant’Ana, Geraldo Napoleão de Souza relata em seu livro “Barroso – Subsídios para a História do Município”, na página 58: “Inicialmente tinha a condição de Escolas Reunidas, com funcionamento autorizado pela Secretaria de Educação, como se vê do “Minas Gerais” de 9 de novembro de 1965. A instalação ocorreu no dia 15 de fevereiro de 1966, no prédio de estrutura metálica, obra do governo Magalhães Pinto.” Este registro nos alerta para a ocorrência do Jubileu de Ouro de criação, no próximo dia 16 de novembro, de criação da, hoje, Escola Estadual Sant’Ana, e dos 50 anos de sua instalação em 15 de fevereiro de 2016. A primeira diretora foi a professora Conceição Meireles Malta (na época ainda não tinha o Malta do futuro marido).

Dona Nina, como era conhecida, ainda está viva, embora com a saúde bastante fragilizada, conseguiu que o ex-governador Bias Fortes obtivesse do governador Israel Pinheiro a transformação das Escolas Reunidas no terceiro Grupo Escolar Estadual de Barroso, o que veio a acontecer através do decreto número 9889, de 20 de junho de 1966. A instalação formal como Grupo Escolar ocorreu em 2 de agosto de 1966. Na data estavam matriculados 423 alunos. Em 1974 o estabelecimento passou a ser denominado Escola Estadual Sant’Ana. (Estas informações constam do livro de Geraldo Napoleão de Souza).

A partir de janeiro de 1974 sou vizinho desta escola, e da sua primeira diretora, na Rua Governador Magalhães Pinto. Meus dois filhos mais novos lá cursaram o ensino fundamental; hoje ambos ocupam posição de destaque, uma no TJMG e outro em empresa privada de mineração. Tenho certeza de que seu sucesso nos cursos posteriores que fizeram se deveu também à excelente base escolar que tiveram nos seus primeiros quatro anos na E.E. Sant’Ana. Aliás, dada minha vizinhança de 40 anos com a escola, posso testemunhar que lá existia e existe disciplina, aplicação e alto padrão de atividade educacional.

Pela competência pedagógica e administrativa das suas diretoras, professoras e serviçais ao longo de meio século, parabenizo a Escola Estadual Sant’Ana pelos seus 50 anos de existência e que seu jubileu de ouro seja muito festejado. E aqui fica minha sugestão para Bruno Ferreira, Diretor do Barroso EM DIA e para o historiador Wellington Tibério, que planejam publicar um livro, atualizando os dados históricos de Barroso: por que não uma reportagem abrangente comemorativa do Jubileu de Ouro com a história bonita desta escola, da qual Barroso pode se orgulhar? 

Por Paulo Terra