Será aberto no dia 19 de janeiro o prazo para os grupos e artistas da comunidade externa interessados em apresentar propostas artístico-culturais remuneradas para o 30º Inverno Cultural da Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ).

Os critérios constam no edital divulgado no fim de dezembro. O cadastramento será pelo site do evento até o dia 19 de fevereiro. Quem tiver dúvidas, pode entrar em contato pelo e-mail invernocultural@ufsj.edu.br ou pelo telefone (32) 3379-2510. O resultado da seleção está previsto para ser divulgado dia 4 de abril de 2018.

Haverá uma chamada exclusiva, a ser lançada em fevereiro, para propostas oriundas das comunidades internas à UFSJ e FAUF.

O festival de artes integradas será realizado entre os dias 21 e 29 de julho de 2018, em São João del Rei. O evento é organizado pela Fundação de Apoio à Universidade Federal de São João del-Rei (FAUF) e a UFSJ.

Propostas e novidades no edital para 2018

As propostas devem se encaixar em uma das 20 modalidades que integram as seis áreas do festival: Ações Especiais, Arte-Educação, Artes Cênicas, Artes Visuais, Literatura ou Música. As atividades incluem vivências, residências, ateliês livres, espetáculos, shows e formações em arte e cultura, dentre outras.

Neste ano, o tema será a relação entre as pessoas e as culturas. O evento quer abordar variadas dimensões da arte e cultura, segundo o pró-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários e coordenador geral do Inverno Cultural, professor Ivan Vasconcelos Figueiredo.

Outra mudança no novo edital prevê que as atividades oferecidas às pessoas busquem uma maior interação entre o artista e o próprio público. A intenção, de acordo com Ivan Figueiredo, é que as pessoas se sintam cada vez mais parte do festival, não apenas como plateia, mas também como um componente que, além de assistir, também produz.

Além disso, os critérios de seleção das propostas foram revistos. As remunerações de algumas categoriais foram reajustadas: nas oficinas, por exemplo, o cachê passou de R$ 70 para R$ 100 a hora/aula. Segundo a UFSJ, a realização da edição de 30 anos do festival será feita com investimento de recursos próprios. O valor ainda não foi informado.

Para este ano está mantido o modelo descentralizado implantado na edição de 2017. As ações voltadas para os moradores ocorreram em nove bairros da cidade. Em paralelo, a Universidade passou a reinvestir recursos do festival na criação e manutenção de quase dez grupos artístico-culturais nos bairros Tejuco, Senhor dos Montes e Matozinhos, para permitir a formação continuada em cidadania cultural ao longo do ano.

Informações G1