COMEÇA A SER DESENHADO O CENÁRIO POLÍTICO 2016

_MG_2621Daqui a um ano os barrosenses voltarão às urnas para escolher quem comandará o município para o mandato 2017 a 2020. Em meio às dúvidas do que ainda pode mudar por causa da Reforma Política, lideranças já se articulam e movimentam o tabuleiro político na cidade. Dessa forma, a reportagem do Barroso EM DIA procurou as principais cabeças da política local a aproximadamente um ano antes do pleito.

Sem grandes novidades, os movimentos giram em torno dos mesmos nomes que atuam na política barrosense há mais de 20 anos. No grupo de situação, que atualmente governa a cidade, o nome de consenso como “cabeça de chapa” é do atual vice-prefeito e vereador por três mandatos, o médico João Epifânio Pinto (PMDB). “Sempre foi um sonho meu ter a oportunidade de ser Prefeito da minha terra, mas isso não depende apenas da minha vontade. Se essa for a vontade do nosso grupo e do meu partido, estou preparado para disputar a preferência da população e apresentar um projeto inovador e participativo para nossa cidade,” diz João Pinto.

Já o Presidente da Comissão Executiva do PMDB, o ex-prefeito José Bernardo Meneghin, diz que o partido ainda definirá quais serão seus rumos para 2016. “Já adianto que vamos participar sim, de uma forma ou de outra, e queremos ter voz na política local. Depois da reunião que estamos articulando, vamos mensurar se apoiaremos ou se lançaremos chapa,” afirma. Aliado público de Meneghin, o ex-prefeito Adelmo Graçano (DEM) se colocou para nossa reportagem como pré-candidato a prefeito de Bar-roso para o ano que vem. No último pleito em 2012, os partidos ligados diretamente a Adelmo apoiaram formalmente a reeleição da Prefeita Eika Oka de Melo (PP), apesar do ex-prefeito não ter subido ao palanque.

PT

Com candidatura própria na última eleição municipal, o Partido dos Trabalhadores ainda não tem situação definida para 2016. A Presidente do partido em Barroso, a ex-vereadora Vera Rodrigues, a Verinha, que hoje é Secretária Executiva dos Fóruns Regionais do Governo de Minas, afirma que continuará trabalhando e fortalecendo o partido para fazer alianças e coligações corretas dentro da Lei e da coerência que o PT sempre teve no município. Ela ainda afirma que pesquisas serão importantes para definir os rumos do partido. “Hoje não temos nada fechado com ninguém, nenhuma aliança, nenhum acordo”, diz Verinha que pretende ouvir a população.

OPOSIÇÃO

Duas lideranças do PSDB, sempre cotadas para encabeçar chapa nas eleições municipais, também se manifestaram à reportagem, o ex-prefeito Baldonedo Napoleão e o ex-vereador Reinaldo Gambá.

Candidato do partido em 2012 e segundo colocado nas eleições, Reinaldo não se furta à candidatura. “Como é sabido por todos os barrosenses, participei nas eleições de 2012 tendo recebido 6 mil e 421 votos. Votos estes recebidos por um trabalho árduo, honesto, digno e sem qualquer tipo de corrupção eleitoral. Votos estes, ainda, de um projeto de governo construído junto com as comunidades de todos os bairros de Barroso. Por muito pouco este projeto não prosperou”, declara o tucano que se coloca como pré-candidato do partido para 2016. “Digo pré-candidato por entender que a definição sobre os candidatos só acontecerá em junho de 2016 quando haverá as convenções. Com certeza irei lançar o meu nome nestas convenções e sendo aprovado irei sim participar das eleições municipais de 2016 na corrida sucessória de prefeito do meu querido e amado município, a quem devo muito pelo que já conquistei em minha vida” ressalta.

O ex-prefeito Baldonedo não informou qual poderá ser seu papel na eleição do ano que vem, se lançará candidatura ou se vai traba-lhar nos bastidores do seu grupo. Ele disse que tem se preocupado atualmente com a situação em que o município pode se encontrar nos próximos anos devido ao fim das obras de expansão da Holcim, além da crise política e econômica do país. “Minha pretensão é continuar participando do processo político local, já que estou residindo em Barroso desde janeiro de 2014, de modo a dar minha modesta contribuição no que estiver ao meu alcance,” afirma.

Opiniões à parte, o certo é que a um ano antes das eleições municipais, o cenário político, independente das mudanças que podem acontecer quando o assunto é Reforma Política, começa a se desenhar na cidade. No próximo dia 1 de outubro será finalizado o prazo para as filiações e mudanças partidárias. Assim sendo, façam suas observações e joguem suas fichas, porque o confronto político está começando em Barroso.

REDE

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou, em sessão realizada na noite de terça-feira (22), o registro do partido Rede Sustentabilidade, idealizado pela ex-senadora Marina Silva. O partido teve o registro negado pelo TSE, em outubro de 2013, por não ter reunido o número mínimo de assinaturas exigido pela Justiça de 484.169. Em maio deste ano, a direção do Rede entregou mais 56 mil assinaturas, chegando a 498 mil signatários. Segundo a ex-vereadora Verinha, o novo Partido também foi criado em Barroso e já em 2016 poderá lançar bons nomes como candidatos a vereador. “A Marina teve uma ótima votação na cidade e ter a Rede do nosso lado é outro objetivo”, diz.