CEMITÉRIO FOI ALVO DE VÂNDALOS

_MG_3204
Mais uma triste notícia para a população barrosense no que diz respeito à educação e à cidadania. Segundo informações da administração do Cemitério Paroquial, que fica localizado no bairro Santa Maria, no Alto do Cruzeiro, na madrugada da última sexta-feira (6) para o sábado (7), vândalos invadiram o cemitério, fizeram uma algazarra e destruíram alguns túmulos.
De acordo com representantes da Paróquia, em entrevista exclusiva ao jornal Barroso EM DIA, na tarde da sexta-feira, por volta das 16h, os coveiros realizaram um sepultamento normalmente e foram embora para as suas casas. No dia seguinte, quando retornaram para fazerem um novo sepultamento, encontraram alguns destroços no local. O responsável pelo cemitério foi chamado e a Polícia Militar foi acionada. Um Boletim de Ocorrência foi lavrado e a PM, junto com responsáveis, tentou encontrar vestígios que levassem aos autores do ato de vandalismo, mas nada foi encontrado. “Como estava acontecendo um sepultamento naquele sábado, isolamos a área onde visualizamos as danificações e realizamos o trabalho normalmente naquele dia. Porém, entre o dia seguinte e a segunda-feira (9), constatamos mais destruições”, conta um dos responsáveis. Segundo informações, cerca de 10 túmulos foram revirados e restos mortais, ainda em decomposição, estavam visíveis dentro do cemitério. “Tem um gavetão ao lado do muro com quatro lajes. Parece que pisaram até quebrarem as lajes. E justamente neste túmulo o defunto ainda estava em decomposição. Uma cena triste. Acionei os familiares, aconselhei a não verem o que estava acontecendo e já realizamos a reforma destes túmulos atingidos”, explica o funcionário que prefere não se identificar, e sim falar em nome da administração da Paróquia. Quatro pedras de mármore, essas que ficam na parte de cima dos túmulos, foram quebradas, ossadas foram retiradas dos locais e enfeites trocados de lugares. “Não podemos afirmar quem fez isso, mas me parece algo de pessoas que poderiam estar correndo ou se escondendo de alguém. Enfim, não sabemos ao certo, mas é lamentável”, declara.
A reportagem do jornal também entrou em contato com vizinhos do cemitério. “Não ouvimos nada lá em casa. Ficamos sabendo dias depois”, declara um vizinho que prefere não se identificar, mas afirma que há alguns anos atrás era possível ver usuários de drogas dentro do cemitério. “Na época acionamos a polícia e a situação foi resolvida, mas era frequente a presença deles andando em cima de túmulos”, diz o vizinho.
FAMÍLIAS
Todas as famílias já foram avisadas e os túmulos que foram danificados já foram reformados pelos responsáveis pelo cemitério, que, segundo o livro “Subsídios para a História do Município”, de autoria de Geraldo Napoleão de Souza, na página 48, foi construído em 1915. Portanto, o cemitério que completa 100 anos de existência em 2015, sofre, pela primeira vez nesta administração, um ato de vandalismo. Em respeito às famílias, os responsáveis pela administração do cemitério, acharam melhor não serem feitas fotos dos túmulos destruídos. Os familiares foram informados de que terão que arcar com toda a reforma. É o que garante um deles.
IMG_3194