Algumas histórias parecem acontecer apenas na dramaturgia ou em lugares bem distantes da gente. Mas uma situação bastante inusitada, exemplo de honestidade, aconteceu em Barroso nesta terça-feira (08) e chamou a atenção da equipe de jornalismo da Rádio Liberdade FM. Na agência bancária, o jovem Ederson Nicodemos Aristides, de 33 anos, conhecido como Preto, morador do bairro da Praia, foi checar seu extrato bancário e se assustou com um valor que apareceu da noite para o dia: mais de R$ 35 mil.

Devolveu 35 mil
Devolveu 35 mil

Sem saber a origem do dinheiro, e após se recuperar do susto, o barrosense procurou pela gerência da agência e explicou a situação, com um único objetivo: devolver o dinheiro ao seu verdadeiro dono. Após um levantamento feito pela agência, foi constatado que se tratava de um comerciante chamado Jorge, da cidade de São João del-Rei. A funcionária da agência são-joanense teria realizado uma operação financeira de forma equivocada, fazendo com que o valor caísse direto na conta de Ederson.

O barrosense falou sobre a reação das pessoas que souberam do caso. “Algumas pessoas falaram pra eu não devolver, outras falaram que sim, que eu agi de forma correta”, afirmou ele, dizendo que o comerciante ficou muito agradecido pelo belo gesto do barrosense.

Os mais de R$ 35 mil correspondem a praticamente um ano inteiro de trabalho do jovem, que é empregado no setor de segurança do trabalho, nas obras de expansão da fábrica de cimento da cidade. Para ele, não há dinheiro que se equipare ao valor da sua honestidade e da sua consciência tranquila. “Pra mim, o que vale é a minha consciência. Esse valor corresponde a um ano de trabalho meu, mas o dinheiro é de outra pessoa e não meu. Por isso fiz questão de devolver”, diz.

Já em São João del-Rei, a única coisa que ele recebeu como recompensa foi um abraço, que, segundo ele, já valeu muito. “Os objetivos que a gente tem na vida, é melhor que construamos com o suor do nosso trabalho. A melhor coisa é sair na rua de cabeça erguida e ser uma pessoa digna. O nosso nome vale tudo, vale ouro”, finalizou o barrosense.

A devolução do dinheiro ao proprietário ocorreu por meio de transferência bancária, na mesma agência em que a operação havia sido realizada de forma equivocada.

11997283_900610060028185_512651702_n-300x137

Informações e fotos Rádio Liberdade FM