O barrosense Antônio Claret, colunista do Barroso EM DIA, fez o uso da Palavra do Cidadão na Câmara Municipal de Barroso nessa segunda-feira (18).

Na semana que comemora o Dia da Árvore (21 de setembro), o sociólogo falou da importância delas para a vida de todos os seres humanos e da dificuldade que é plantar essas árvores nos municípios, em especial Barroso.

“Plantar árvores é algo muito difícil. Aliás, arborizar a cidade é algo que já foi tentado em outras épocas. Há 42 anos, na primeira administração do Baldonedo Napoleão (PSDB), por exemplo, foram plantadas cerca de mil árvores na cidade e só sobraram duas (agora uma). A dificuldade que temos é a de educar e convencer a população da importância de termos uma cidade mais arborizada”, diz o colunista que convidou os moradores das imediações do cemitério para falar especificamente daquelas árvores.

“Dentre os poucos exemplos de ruas que deram certo estão as duas ruas laterais do cemitério. Por isso, em todas as ruas que plantamos, com todas as pessoas que conversamos, em todas as palestras que damos e em todas as escolas que visitamos, nós pedimos às pessoas que sejam como os vizinhos do cemitério, que sejam conscientes e que ajudem a cultivar as árvores como eles fizeram. Os vizinhos do cemitério são o maior exemplo de cidadania que temos hoje em Barroso e que, por isso, peço a todos que deem mais uma chance às árvores, pelo amor que já demonstraram por elas”, conta Antônio se referindo ao possível corte dessas árvores que também trazem problemas para a região.

“Árvores trazem certos incômodos, elas muitas vezes estragam o passeio, escondem a luz dos postes, as folhas sujam o chão e as casas, mas os benefícios são muito superiores e vale a pena termos uma cidade mais arborizada”, diz Antônio que propôs, com os recursos da campanha Plante uma Árvore, consertar os passeios, o muro e os túmulos que, por ventura, possam ter sido danificados. O vereador Gionavi Graçano também se colocou a disposição para colaborar com o conserto dos passeios. Uma reunião com moradores está marcada para sexta-feira (22).

No uso da Palavra ele disse ainda que pode ajudar na solução para os problemas dos escorpiões, já que eles se escondem em pedras, entulhos e tijolos, não em árvores.

“É importante deixar claro que não existe relação ecológica direta entre escorpiões e árvores, eles não vivem, não sobem, não se alimentam de árvores. Eles se alimentam de insetos e baratas. Já os predadores dos escorpiões, como a coruja, esses sim vivem e fazem seus ninhos em árvores”, esclarece.

Por fim, o sociólogo esclareceu que é muito importante que as cidades sejam arborizadas para que as ruas sejam mais bonitas, o clima seja mais ameno e o ar tenha mais qualidade. “No caso de Barroso, é ainda mais importante, uma vez que convivemos aqui com uma das maiores indústrias do continente. Porém, nós estamos entre as últimas cidades do país em termos de arborização das vias urbanas. O IBGE divulgou um ranking das cidades e a posição de Barroso é 4689º no país (são 5570 municípios). Nós precisamos fazer algo urgente para invertermos esse placar”, finaliza.