AGÊNCIA DE BARROSO NÃO ADERE À GREVE

_MG_0016Apesar de greve nacional deflagrada pelos funcionários dos Correios em alguns estados, na noite de terça-feira (15), inclusive em alguns pontos de Minas Gerais, a agência de Barroso continua funcionando normalmente.

Segundo a gerente da unidade dos Correios em Barroso, Heloísa Santos Chaves, a agência não aderiu à greve e não há previsão de que irá parar o funcionamento na cidade.

Até a quarta-feira (16), os estados AM, BA, MG, MT, PA, PB, PI, RJ, RS, SC, SP e TO já registravam paralisações em alguns pontos. Segundo os Correios, a paralisação está concentrada na área de distribuição, atingindo em torno de 34% dos carteiros nas localidades em que há paralisação. Os Correios afirmam que 90,69% do efetivo está trabalhando — o que corresponde a 108.185 empregados. Do total de 28.569 carteiros que deveriam trabalhar na quarta-feira (16) nas localidades em que há greve, 9.750 não compareceram, segundo a empresa.

NEGOCIAÇÕES

O TST ofereceu aos trabalhadores reajuste linear de R$ 200 em forma de gratificação, sendo R$ 150 em agosto e R$ 50 em janeiro de 2016, o que representa um aumento de cerca de 15% sobre o salário base inicial dos agentes de Correios (carteiros, atendentes e operadores de triagem e transbordo).

“Para se ter uma ideia, a remuneração (salário mais adicionais) de um carteiro com dois anos de empresa hoje é de R$ 1.676.34. Pela proposta do TST, em agosto de 2016 esse trabalhador teria remuneração 15,74% maior (R$ 1.940,34)”, informa os Correios.

A proposta do TST inclui ainda manutenção do plano de saúde dos trabalhadores da forma como é hoje e reajuste de 9,56% nos benefícios vale cesta, vale-alimentação/refeição, auxílio para dependentes especiais e auxílio creche/babá a partir de agosto de 2015, entre outros pontos.

Segundo os Correios, a proposta foi aceita por 16 dos 36 sindicatos da categoria: Acre, Pernambuco, Roraima, Goiás, Alagoas, Amapá, Paraná, Rio Grande do Norte, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Santa Maria (RS), Uberaba (MG), Juiz de Fora (MG), Ribeirão Preto (SP) e Santos (SP). Sergipe, embora tenha rejeitado a proposta do TST, não deflagrou paralisação.

MINAS GERAIS

Funcionários dos Correios em Belo Horizonte decidiram entrar em greve na quarta (16), segundo o Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de Minas Gerais (Sintect-MG). A diretora Irani Fernandes Leandro informou que serviços principais estão prejudicados na capital e em cidades da Região Metropolitana.

Ainda segundo a diretora, a categoria está há cerca de dois meses em negociação por melhores salários, mas não houve acordo. Ela disse que carteiros, atendentes comerciais e o setor de triagem de correspondências estão trabalhando de modo parcial.

Trabalhadores das agências dos Correios do Leste de Minas decidiram também entrar em greve. Nas cidades de Governador Valadares, Ipatinga, Caratinga e Cororonel Fabriciano há empregados que aderiam ao movimento, em quatro unidades operacionais da Empresa, totalizando 81 funcionários.

Esse número representa 0,6% do efetivo dos Correios em Minas (13 mil empregados) e 20% do grupo que aderiu ao movimento no Estado (403 empregados).