A BOA POLÍTICA, POR LUIZINHO MOREIRA

Muita gente se engana ao pensar que fazer política é, simplesmente, ser candidato; defender, incondicionalmente, o seu grupo político; ou votar em alguém numa eleição. Claro que não! Isto se chama política partidária. Fazer política é muito mais que isso. É saber lidar com o outro, sem discriminação partidária, apesar das divergências de opiniões. É lutar, sempre, por uma causa e defender continuamente o bem comum da coletividade, acima de tudo com honestidade. Estas são, apenas, algumas das inúmeras formas de se fazer uma boa política.

No atual momento do país é notório que os brasileiros estão cada vez mais envergonhados e decepcionados com a política nacional. E isto não é um bom sinal, pois, nos leva a crer que a política não presta em todos os sentidos. Por isso, quando agimos em defesa de causas justas e benéficas, praticando a boa política, somos vistos como, radicais, oportunistas e aproveitadores. Tentar fazer o bem dá muito mais trabalho do que simplesmente ficar de braços cruzados assistindo as coisas acontecerem, criticando e falando mal daqueles que batalham em busca das melhorias. Isto não é uma boa política!

É por isso que todos aqueles que defendem a boa política devem ser teimosos, persistentes e idealistas, seguir o caminho de cabeça erguida e com coragem, enfrentando todos os obstáculos, exercendo e disseminando a boa política.

Por fim, repito: é preciso fazer política com “P” maiúsculo, aquela que favorece a comunidade, a Política do bem, da honestidade, da verdade. É com a verdade que enfrentamos o medo e os maus profissionais. A pessoa que atua dessa forma pode, corajosamente, afirmar: Estou fazendo Política SIM! Encerro, portanto, este artigo com uma bela frase de Dirsomar Chaves: “A Boa Política, assim como a água refrescante, quando cai em solo produtivo refresca os ânimos, fazendo crescer as boas idéias que são capazes de mudar o mundo.

 

Por Luizinho Moreira

09/10/2015